Monday, 28 January 2013

Winter and its lessons


After the festive season we are left with just winter and its bitter and cruel cold. Generally a season associated with introspection, nourishment, rest and reflection. A time when the animals are hibernating and the earth is getting prepared to flourish again…

It’s difficult to find meaning in the darkness and stillness of the shorter days. If it serves us a purpose it may be help us analyse our past and close doors that need closing but at the same time exploring new possibilities. By duality or paradox, if we surrender, it may also make us search for warmth and compassion.

I wonder if it’s maybe the association with winter that made our societies ever more selfish and lonely. If that was what made us close up so deeply that we live enclosed by the image that we let out. Or was it maybe the darker days that closed up our lights inside?

May we consider being more open and truthful, escaping society’s expectations, being more loving and kind, and see others as fellow human beings, not strangers. May we not wait for tragedy to strike to be able to come together, support each other and create true communities.

Winter brings us the opportunity to look deep and find all we need to lead a better life within ourselves. Consequently, despite the harsh conditions and the darkness that wrap us up there will be hope for the next season and the all the new still to come.

Inverno e suas lições


Depois da época festiva nos resta simplesmente o inverno e seu frio amargo e cruel. Geralmente uma estação associada com introspecção, nutrição, descanso e reflexão. Uma época em que os animais estão hibernando e a terra está se preparando para florescer novamente ...

É difícil encontrar um significado na escuridão e silêncio dos dias mais curtos. Se nos serve um propósito poderia ser ajudar a analisar as nossas oportunidades do passado que precisam de encerramento, mas ao mesmo tempo, explorar novas possibilidades. Por dualidade ou paradoxo, se nos rendermos, também pode fazer-nos procurar calor e compaixão.

Eu me pergunto se é talvez a associação com o inverno que fez nossas sociedades cada vez mais egoístas e solitárias. Se foi isso que fez fechar-nos tão profundamente que vivemos delimitados pela imagem que transparecemos. Ou foi talvez os dias mais escuros que fecharam nossa luz interior?

Que possamos considerar ser mais abertos e verdadeiros, escapando expectativas da sociedade, sendo mais bondosos e afetuosos, e ver os outros como seres humanos, não estranhos. Não podemos esperar uma tragédia golpear-nos para sermos capazes de nos unir, apoiar uns aos outros e criar verdadeiras comunidades.

O inverno traz a oportunidade para examinar profundamente e encontrar tudo o que precisamos para ter uma vida melhor dentro de nós mesmos. Consequentemente, apesar das condições adversas e a escuridão que envolvê-nos, haverá esperança para a próxima estação e todo de novo que ainda está por vir...